quarta-feira, 28 de novembro de 2018

I SEMINÁRIO SOBRE GÊNERO, SEXUALIDADE E TRABALHO


Nos dias 12 e 13 de dezembro, ocorrerá o I Seminário sobre “Gênero, Sexualidade e Trabalho”. A atividade é uma realização do Laboratório de Estudos em História Cultural (LEHC), do Laboratório de História Social do Trabalho (LHIST), do Núcleo de Estudo e Pesquisa em Trabalho, Política e Sociedade (NETPS), do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino de História (LAPEH), do Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas Públicas para a Educação Superior (GEPPPES) e do Diretório Central dos Estudantes - Gestão Kamayurá - ocorrerá na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Campus de Vitória da Conquista.
Todas as pesquisas desenvolvidas nas diversas áreas do saber que discutam gênero, sexualidade e/ou trabalho são bem-vindas às sessões de comunicação e contribuirão para ampliar o debate.

Para apresentar comunicação, participar do evento e dos minicursos, ou ser monitor/a voluntário/a, é necessário fazer inscrição de acordo com as orientações disponíveis no site do evento http://www2.uesb.br/eventos/sexualidade/

As inscrições para apresentação de trabalho podem ser feitas, até o dia 30 de novembro, por profissionais e discentes da graduação e da pós-graduação. O graduando deverá enviar para o e-mail do evento, além da ficha de inscrição, a carta de anuência do seu orientador, que pode ser do TCC (trabalho de conclusão de curso), da Iniciação Científica ou da Iniciação à docência.


A participação é gratuita e franqueada a toda a comunidade acadêmica e regional.  Certificados serão conferidos de acordo com o registro nas listas de frequência.

Debate sobre fascismo na programação dos Seminários dos LHIST/Uesb


O Laboratório de História Social do Trabalho fará realizar, na próxima quinta-feira, 29 de novembro, às 17h30, mais uma sessão dos Seminários do LHIST/2018, com a palestra “Do fascismo à nova direita. A luta de classes em tempos obscuros”.
A palestra, que irá ocorrer no auditório do módulo IV, será ministrada pelo Prof. Dr. Belarmino de Jesus Souza, docente do Departamento de História da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). A atividade tem por objetivo refletir sobre a direita política, desde suas raízes, no conservadorismo do século XIX e no fascismo histórico da primeira metade do século XX, até o advento da onda da Nova Direita, na era da comunicação imediata absoluta. A palestra tem por propósito, ainda, debater a correlação de forças nas lutas sociais neste novo contexto.  
A participação nos Seminários do LHIST é gratuita e franqueada a todos os interessados da comunidade acadêmica e regional. Não há necessidade de inscrição prévia. Certificados serão conferidos de acordo com o registro nas listas de freqüência.

Maiores informações poderão ser obtidas pelo telefone (77) 34248697 ou pelo email labhst@uesb.edu.br

Ditadura militar, imprensa alternativa e formação política em debate no LHIST/Uesb


A ditadura civil-militar, vigente no Brasil entre os 1964/1985, caracterizou-se pela repressão política, por cassação de mandatos eletivos, exílios de opositores, prisão de contestadores, tortura de “inimigos” do regime e censura aos meios de comunicação. Neste processo, sem pedir licença, emergiram os jornais alternativos que foram porta-vozes das críticas multidimensionais à realidade existente no país. A partir desse ponto de vista, o Professor Carlos Alberto Pereira Silva, do Departamento de História da Uesb, irá proferir palestra com o tema Ditadura militar, imprensa alternativa e formação política, tendo por objetivo refletir sobre a presença da imprensa alternativa no contexto do regime ditatorial e apresentar um recorte de memória sobre a leitura de jornais alternativos, nos quais o palestrante obteve sua formação política. A atividade irá acontecer no dia 23 de novembro, às 16h, no Laboratório de História Social do Trabalho (LHIST) da Uesb, no campus de Vitória da Conquista.
Em seguida à palestra, o LHIST abre à visitação pública a exposição permanente Imprensa Alternativa: narrativas, identidades e resistência no Brasil Contemporâneo, na qual apresenta o seu acervo de jornais. A Hemeroteca do LHIST é composta por cerca de 3000 exemplares de periódicos produzidos no Brasil no século XX e primeira década do século XXI, agregados ao acervo do laboratório por meio de doações. O núcleo principal deste acervo é constituído por jornais em formato tablóide, associados ao conceito de Imprensa Alternativa, produzidos no Brasil sob a Ditadura Militar e no período de redemocratização. O acervo abriga, também, suplementos de jornais da grande mídia nacional dedicados à ciência e à cultura, exemplares de publicações internacionais e a coleção do Jornal A Voz do Trabalhador, produzido entre 1908 e 1915.
As atividades integram a programação dos Seminários do LHIST/2018 e da Semana de Integração da Uesb. A participação é gratuita e franqueada a todos os interessados da comunidade acadêmica e regional. Não há necessidade de inscrição prévia. Certificados serão conferidos de acordo com o registro nas listas de freqüência.
Maiores informações poderão ser obtidas pelo telefone (77) 34248697 ou pelo email labhst@uesb.edu.br



 Lançamento do livro História do Trabalho Revisitada

Sob pressão de grupos empresariais que apoiaram e patrocinaram o golpe de 2016, um novo sistema legal e um novo modelo de Estado se impõem como fatores de regulação e mediação das relações entre capital e trabalho no Brasil Contemporâneo. Lei da terceirização, reforma trabalhista e esvaziamento das funções e dos recursos da Justiça do Trabalho fazem parte de um mesmo conjunto de ações que, sob o manto da modernização, tendem a enfraquecer os modos de organização e luta dos trabalhadores. As normativas apreendidas pela designação genérica de Reforma Trabalhista, que se encontra ainda em curso, visam regularizar situações laborais situadas à margem da CLT e suprimem expedientes que, até então, em consonância com tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário, eram garantes, pelo menos do ponto de vista formal, de proteção às mulheres, às crianças e aos jovens trabalhadores.
Assiste-se à cristalização e extensão para o conjunto dos trabalhadores de um novo sistema legal que precariza as condições de trabalho e os enfraquece na condição de demandantes frente à Justiça do Trabalho. Todas essas transformações ocupam, na atualidade, os pesquisadores do Direito, da Sociologia e, nomeadamente, da História do Trabalho, aos quais se impõe abordar, em uma perspectiva diacrônica, o papel da Justiça do Trabalho como instância de mediação e luta entre patrões e empregados e tratar os seus acervos como depositários de informações sobre relações de trabalho, perfis e estratégias de luta dos trabalhadores do Brasil, desde o início da década de 1940.
Este conjunto de reflexões define a matéria do livro História do Trabalho Revisitada: Justiça, Ofício, Acervos, organizado por Alisson Droppa, Aristeu Machado Lopes e Clarice Gontarski Speranza e lançado pela Paco Editorial no ano de 2018. O livro, que conta com capítulos da lavra de importantes historiadores do trabalho, a exemplo de Ângela de Castro Gomes, Larissa Correia e Lorena Gill, será objeto de discussão em atividade que integra a programação dos Seminários do LHIST e da Semana de Integração da UesbA apresentação do livro será feita pelos professores e pesquisadores do Laboratório de História Social do Trabalho da Uesb (LHIST), José Pacheco dos Santos Junior e Rita de Cássia Mendes Pereira, que também figuram na condição de autores de capítulos da publicação.
A atividade será realizada no dia 21 de novembro, às 17h30, no Laboratório de História Social do Trabalho da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, campus de Vitória da Conquista. A participação é gratuita e franqueada a todos os interessados da comunidade acadêmica e regional. Não há necessidade de inscrição prévia. Certificados serão conferidos de acordo com o registro nas listas de freqüência.
Maiores informações poderão ser obtidas no Departamento de História da Uesb pelo telefone (77) 34248697 ou pelo email labhst@uesb.edu.br


sexta-feira, 5 de outubro de 2018



Ocupação Mulheres, Imagem e Resistência


Promover a reflexão sobre o protagonismo feminino nas artes e debater sobre a violência imposta às mulheres. Esse é o objetivo do evento “Ocupação Mulheres, Imagem e Resistência”, promovido pelo Laboratório de História Social do Trabalho (Lhist) em parceria com o projeto “Cinema e História”, com centros acadêmicos e coletivos de mulheres de Vitória da Conquista.

O evento será realizado no dia 9 de outubro, com uma programação diversificada durante todo o dia, envolvendo fotografia, literatura e música. Já às 19 horas, no Teatro Glauber Rocha, haverá a exibição do filme “Transformar os silêncios”, que será seguida por um debate sobre as lutas enfrentadas pelas mulheres.

Inscrições – Para os ouvintes, não há necessidade de inscrição prévia. Já quem deseja participar da atividade como monitores voluntários devem se inscrever aqui. A programação da Ocupação Mulheres contará ainda com a oficina “Fotografia de Movimentos Sociais”, que será ministrada pela fotógrafa, historiadora e pesquisadora Milla Dantas. Para participação, é necessário preencher formulário de inscrição.

O evento ainda abrirá espaço para mulheres participarem do Sarau lítero-musical Vozes em Movimento, quando poderão ser apresentados números musicais, performance e textos literários associados ao tema do evento. A inscrição para o Sarau deve ser feita aqui.

Para mais informações do “Ocupação Mulheres”, entre em contato com o Departamento de História pelo telefone (77) 3424-8666.

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Acervo de imagens sobre movimentos sociais será apresentado em palestra nos seminários do LHIST
 
O Laboratório de História Social do Trabalho (LHIST) é uma instituição-memória especializada na guarda e referência de fontes documentais relativas aos mundos do trabalho. Dentre os grupos documentais que sustentam a pesquisa no LHIST encontra-se o arquivo digital Movimento Social em Retrato, composto por, aproximadamente, 7000 imagens – cópias de fotografias, folhetos, cartazes, jornais – capturadas em arquivos de sindicatos de trabalhadores e em acervos pessoais de fotógrafos que atuaram em Vitória da Conquista na segunda metade do século XX.  A apresentação deste acervo será o tema da próxima sessão dos seminários do LHIST, que ocorrerá no dia 04 de outubro, a partir das 17h30, no auditório do modulo IV da Uesb, campus de Vitória da Conquista. A atividade será conduzida pela fotógrafa, historiadora e pesquisadora do LHIST, Kamilla Dantas, que irá apresentar dados técnicos relativos ao tratamento e organização de fontes digitais e trazer ao debate as possibilidades de pesquisa ofertadas pelo acervo Movimento Social em Retrato.
A participação é gratuita e franqueada a todos os interessados da comunidade acadêmica e regional. Não há necessidade de inscrição prévia. Certificados serão conferidos de acordo com o registro nas listas de freqüência.
Maiores informações poderão ser obtidas pelo telefone (77) 34248697 ou pelo email lhist.uesb@gmail.com

segunda-feira, 17 de setembro de 2018


LHIST promove palestra com o tema “Lutas por moradia em Diadema e o poder público municipal (1983-1996)”.

No próximo dia 20 de setembro, às 17h30, como atividade integrante dos Seminários do LHIST 2018, acontecerá, no auditório do módulo Antônio Luis Santos da Uesb, campus de Vitória da Conquista, a palestra “Lutas por moradia em Diadema e o poder público municipal (1983-1996)”,  a ser proferida pela Professora Joana D’Arc dos Santos, do Instituto Federal da Bahia (IFBa).

        Resultante da sua pesquisa de doutorado em História, defendida junto à PUC-SP, a palestra tem por foco os encaminhamentos políticos em relação às demandas de organizações de lutas por moradia, realizadas pelo governo municipal de Diadema, entre 1983 e 1996. Em um contexto marcado pela ilegalidade da posse de terra urbana, falta de infraestrutura, altos índices de violência e baixos índices de desenvolvimento humano, Diadema vivenciou intensos conflitos entre ativistas sociais e proprietários de terras. Os resultados da pesquisa evidenciaram que as administrações municipais em Diadema, entre 1983-1996, reproduziram a autocracia burguesa na instância local, embora substituindo alguns dos sujeitos da dominação no interior do Estado. Estas administrações pautaram-se na prática politicista, por priorizar a dimensão política no interior das relações societárias e, com isto, conforme demonstraram os dados, finalizaram por proteger os interesses de desenvolvimento de proprietários de terras e de outros grupos econômicos que se instalaram na cidade, em detrimento das necessidades da produção e reprodução da vida dos trabalhadores.

A participação é gratuita e franqueada a todos os interessados da comunidade acadêmica e regional. Não há necessidade de inscrição prévia. Certificados serão conferidos de acordo com o registro nas listas de freqüência.
Maiores informações poderão ser obtidas no Departamento de História da Uesb pelos telefones (77) 34248666 e 34248697 ou pelo email lhist.uesb@gmail.com.